Cuidadora fazia abuso oral no paciente com esclerose
Cuidadora fazia abuso oral no paciente com esclerose
11/04/2019 às 02:19

É impressionante como uma pessoa em um estado como o deste paciente, poderia passar por tão grave situação dentro de seu próprio lar, e ser abusado por uma pessoa que deveria protegê-lo.

Este caso aconteceu no Distrito Federal, a vítima só conseguiu denunciar porque ganhou um computador que possuia um sistema de comunicação para pessoas especiais que se comunicam com os olhos.

Uma cuidadora que trabalhava com o paciente desde 2015, foi presa nesta semana acusada do crime de estupro de vulnerável, com pena de até 15 anos de prisão.

Nesta Quarta Feira dia 10 de Abril, o Brasil é chocado com um crime que dificilmente podería ser descoberto (se não fosse o programa de comunicação com os olhos que o paciente ganhou para usar em seu computador).

Uma jovem de 36 anos que trabalhava há quase 4 anos com o paciente foi presa por ter abusado sexualmente de um homem que tinha uma doença degeneratica que paralizou todo o seu corpo. Com o corpo paralisado ele não podia se mexer e nem falar, com isso sua cuidadora aproveitando desta situação abusava sexualmente do homem que tem 54 anos de idade.

A mulher foi levada para a delegacia e já está em prisão preventiva, ou seja ela já está presa por tempo indeterminado – autorizada através da 3a Vara Criminal da Cidade de Ceilândia no Distrito Federal.

Ela foi presa para que as investigações sejam concluídas e para evitar uma provável fuga. Com isso o desfecho deste caso pode seguir com total atenção e condenada a mesma poderá pegar de 8 (oito) a 15 (quinze) anos de prisão.

De acordo com o delegado de polícia do caso, a mulher era atraída sexualmente pelo paciente, e com isso a impulsividade dela a fazia cometer atos como estes: beijava, e acariciava as partes íntimas do homem e constantemente fazia sexo oral nele.

Deixe seu comentário