in

Cerca de 100 Mil cristãos são mortos a cada ano e a mídia se cala diante disso!

Em 50 países, 215 milhões de cristãos são perseguidos, fazendo com que os cristãos seja o grupo mais perseguido do mundo.

Embora o assunto seja pouco discutido e relatado pela mídia, os cristãos são o grupo mais perseguido do mundo. Há uma lista de cinquenta países onde cerca de 215 milhões de cristãos são perseguidos e até mortos por causa de sua fé.

Os cinquenta países incluídos nesta lista são: Afeganistão, Argélia, Bahrein, Bangladesh, Brunei, Butão, Qatar, Cazaquistão, China, Colômbia, Comores, Coreia do Norte, Djibouti, Egito, Emirados Árabes Unidos, Eritreia, Etiópia, Indonésia, Irã, Iraque Jordânia, Kuwait, Laos, Líbia, Malásia, Maldivas, Mali, Mauritânia, México, Mianmar, Nigéria, Omã, Paquistão, Quênia, República Centro-Africana, Síria, Somália, Sri Lanka, Sudão, Tajiquistão, Tanzânia, Territórios palestinos, Tunísia , Turcomenistão, Turquia, Uzbequistão e Vietnã.

A Cristofobia, que é a aversão a Cristo e aos seguidores de Cristo, mata cerca de 100 mil cristãos por ano. Este número não inclui os cristãos que morrem de doenças, acidentes, tragédias ou similares. Os 100.000 cristãos são mortos pelo simples fato de serem cristãos.

Infelizmente, embora este seja um caso lamentável, em que as pessoas estão sendo perseguidas, torturadas e mortas por causa de sua fé, a imprensa e a Igreja Católica, como instituição, são completamente omitidas sobre o assunto.

Muito é dito sobre a islamofobia, esquecendo que os países onde a Sharia é aplicada (Lei islâmica) são onde os cristãos são perseguidos de forma mais intensa e morto da maneira mais cruel. Enquanto a perseguição de islamitas, como caricaturas de Charlie Hebdo, não tem nada a ver com cristãos, que também são alvo de críticas.

Para aqueles que não sabem, a Sharia é um conjunto de leis islâmicas baseadas no Alcorão, que é o livro sagrado do Islã. Nos países que têm a Sharia, os cristãos não são livres para falar sobre o cristianismo ou fazer doações de Bíblias. Nesses países, não há igualdade entre pessoas de diferentes religiões (um não-muçulmano, conhecido como Kafir, não igual a um muçulmano), as leis de proteção são dualistas e não protegem os islamistas e os não-muçulmanos, entre outras coisas que oprimir os cristãos.

Devido à Jihad, cerca de 60 milhões de cristãos foram mortos nos últimos 1400 anos. Além dos cristãos, 80 milhões de hindus, 10 milhões de budistas e 120 milhões de africanos também morreram, dando um total de 270 milhões de mortes conhecidas como lágrimas da jihad.

Em 2003, em Darfur, que está localizado no Sudão, cerca de 400 mil mortes foram relatadas por milícias islâmicas.

Mas mesmo com tanta evidência para provar cristofobia, a mídia mostra que não está de todo preocupado com isso

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Loading…

Comentários

Comentários