Drag queen faz dança sensual para crianças de escola pública: assista

Drag queen faz dança sensual para crianças de escola pública: assista

5 dezembro, 2017 0 Por Jovens Cristãos

O uso de drag queens em apresentações nas escolas é uma ferramenta de militância LGBT que está sendo cada vez mais utilizada como forma de impor ideologia de gênero em estudantes de diferentes faixas etárias. Outro caso foi registrado, desta vez em Salvador (BA), com grande repercussão nas redes sociais.

A diretora Luciana Senna, diretora do Colégio Estadual Odorico Tavares, convidou a drag queen conhecida como Natha Sympson para uma apresentação erótica no pátio, com todos os alunos da escola formando o público.

De acordo com informações do jornal Gazeta do Povo, a drag queen admitiu que a apresentação ao som dos cantores Pabllo Vittar e Anitta – com letras estimulando a prática sexual – é parte de um projeto de “identidade de gênero e sexualidade“, idealizado por os responsáveis ​​pela faculdade estadual.

Em outubro, uma escola pública administrada pela Universidade Federal de Juiz de Fora também promoveu uma apresentação com uma rainha dragona para pedir desculpas à ideologia do gênero e atacar os princípios da “família tradicional” mantidos por grande parte da sociedade brasileira.

Na apresentação, a dança se transforma em strip-tease, e a rainha dragona que vestiu um vestido no início, acaba desnuda, apenas com cobertura sexual e peruca. Nas redes sociais, uma página dedicada ao filósofo e escritor Olavo de Carvalho comentou sobre o episódio, expressando indignação: “Acredite, esta é uma escola”, lamentou.

Os usuários do Facebook que seguem as publicações nesta página comentaram o episódio: “E Português 0, Matemática 0, Física e Química 0 … e assim por diante … países que são potências mundiais, são países que possuem Educação forte e que valor por uma qualidade e educação séria e não esta lixa moral que vivemos aqui. Infeliz “, escreveu um usuário da internet.

“Essas pessoas estão testando a paciência dos pais e das famílias. Se a idéia é acabar com a homofobia, lamento informá-lo de que o resultado é contrário. Não tenho filho, mas se eu tivesse e coloquei na escola, eu gostaria Leve-o e abra um caso contra os funcionários da escola. As crianças vão para a escola para se formar para a vida profissional e acadêmica e não para aprender essas p … “protestou outro.

A certeza de que essas ações trarão sérias conseqüências foi a abordagem usada por um daqueles que comentaram sobre a cena: “Você pode dançar, vestir-se como [mulher], [mas] nunca. No dia do julgamento, Deus chamará por O nome que ele deu. Então, meu amigo, onde há risadas hoje, haverá um grunhir de dentes. Que Deus tenha piedade desta geração “, disse ele.
Assista

Leave your vote

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Comentários

Comentários